6.2.18

ANDARILHOS


São vultos contra a luz.
Têm dentro pessoas que vagueiam
em direcção ao outro lado
sempre ao outro lado
do muro do bosque da praia
do nada que às vezes dizem vida
sem grandes certezas a não ser
a da criança que transportam
e se atreve a rir e a chorar
e as ajuda a correr e a saltar
contra a distância contra a altura.
São andarilhos vagabundos
viajeiros aventureiros inquietos
da partida ansiosos da chegada.
Têm pressa. Já beberam muitos rios
saborearam cidades países continentes.
Provam o vinho o pão a fruta.
Em várias línguas se apresentam
se despedem. São músicos
do vento e do deserto. São poetas
do amor da liberdade. Construtores
de construções inacabadas.
Caminham em direcção à luz
inda que seja noite. Amam demais.

Licínia Quitério

2 comentários:

Mar Arável disse...

Tudo se move
mas tu não
Bj

Graça Pires disse...

"Caminham em direcção à luz
inda que seja noite."
Magnífico, minha Amiga. Sempre com imensa qualidade.
Uma boa semana.
Um beijo.

arquivo

 
Site Meter