23.1.18

VAI, MEU CORAÇÃO


Vai meu coração
não te demores
na imensidão

não te esqueças de mim
que fui a tua casa
o antes e o durante
o tempo da viagem

se muros te barrarem 
o caminho
salta coração
solta o grito e a asa

ao largo encontrarás
no chão tombada
uma ave nocturna
exausta magoada

levanta-a coração
leva-a contigo
veste-a com o meu nome
até que chegue a noite

solta-a depois 
no cimo da colina
ensina-lhe o caminho
do meu peito

nele achará o ninho
o calor a guarida
de aves enfrioradas
desamadas perdidas

Licínia Quitério

Sem comentários:

arquivo

 
Site Meter