1.1.18

OS FRUTOS


Guardado o Sol das outras estações,
no amarelo oiro se agigantam
os frutos do Inverno.
De seivas e doçura se fizeram as águas
que do seu corpo escorrem
para bocas sedentas 
de alívio, de frescura.
Dos homens sabem segredos
que à noite a
 terra lhes contou.
É o que deles faz frutos amargos
nos dias em que a paz em guerra se tornou.

Licínia Quitério

2 comentários:

Graça Pires disse...

Como escreves bem, Licínia!
Ainda não te disse que gostei imenso do teu livro "Os olhos de Aura". Personagens femininas muito fortes e uma linguagem estética e emocional fantástica. Parabéns!
Que o teu Ano de 2018 seja muito BOM.
Um beijo.

Licínia Quitério disse...

Fico tão contente com a tua muito prezada opinião, querida Graça. Bom ano para ti e para os teus, amiga. Beijos.

arquivo

 
Site Meter