1.12.17

QUASE NADA


Não há como inverter esta jornada.
O que passou passou, o que doeu doeu.
De amor e desamor as pontas desatei

De guerra e paz quase nada aprendi.
De tudo o que vivi tão pouco sei
De todos os que amei uma flor recolhi
para agora oferecer a quem passar
pelo banco onde me sento onde me sinto
um quase tudo um quase nada.

Licínia Quitério

1 comentário:

Alfredo Rangel disse...

Ah, Licínia!! O amor provoca mesmo toda esta agitação em nossas vidas. Amor avassalador. E verdadeiro...

arquivo

 
Site Meter