20.8.17

ELES


Eles não são do nascente.
A noite é sua amante 
seu desvario e sossego.
Aprenderam os caminhos da lua
o piar da coruja o uivo do lobo.
Há flores que só à noite se mostram.
Eles sabem disso e não as colhem.
Há rios que só à noite sussurram
declarações de amor aos peixes e às pedras.
Eles escutam e vão tecendo uma canção de berço.
Eles rondam as mulheres e as engravidam.
Eles dão aos  homens a ardência do sol
a bravura dos braços e a bondade solitária
dos ocasos.
Eles são necessários.
Eles são tudo isto e muito mais seriam
se existissem.

Licínia Quitério

Sem comentários:

arquivo

 
Site Meter