24.7.17

O DIA CLARO


Entra devagar no dia claro

Pensa-te nuvem
deixa fluir os teus contornos
Se uma ave cruzar o teu tecido
sê a ave
voa
aprende o seu piar
a construção do ninho
acolhe o novo cantar

Pensa-te rio
amacia as pedras
Se um peixe acontecer
sê o peixe
nada
aprende a subida das águas
entrega as sementes
espera da vida o seu retorno

Pensa-te um homem
uma nuvem enrolada à cintura
uma ave no peito

Estás agora mais perto das estrelas
iguais à flores do teu jardim
ou à vontade de entenderes
a escuridão do dia claro

Licínia Quitério

1 comentário:

Graça Pires disse...

Sei que dentro dos teus olhos todos os dias são claros...
Um beijo, Licínia.

arquivo

 
Site Meter