13.5.17

O ESQUECIMENTO


Cedo ou tarde
em hora quente ou fria
encontrarás a porta 
aberta nos teus passos
peregrinos sem santo
nem sossego
Passos já não leves
não velozes
quem sabe apenas
a memória dos passos
em caminhos de sol
em veredas de lua
em becos de paixões
sinuosas e breves
Esqueceste tantos nomes
tantos rostos
mas aprendeste
a vastidão da praia
a cor do mar
as casas vazias
os laços rotos
uma música branca
uma franja de sombra
um piar de pássaro perdido
a procurar-te as mãos
É a hora de enfrentares o arco
e seres a flecha
de seres a pedra e o musgo
e o estalido da areia
ao peso do teu corpo
Sozinho vais
Ninguém pode fazer a tua estrada

Licínia Quitério

1 comentário:

Graça Pires disse...

Também tenho saudades tuas.
Beijos.

arquivo

 
Site Meter