14.9.12

UMA EXPLICAÇÃO

Amigos,

Por uns tempos, enquanto preparo a publicação de um novo livro de poemas, estarei mais ausente deste sítio. Poderão encontrar-me por vezes no outro.

Muito obrigada por todas as vossas atenções e até sempre.

Licínia

3.9.12

SETEMBRO


Alguém que nos morreu 
nos dias violentos de setembro
deixou em testamento
a garra do calor a vergar-nos 
as pernas na subida.
Na porta escancarada da manhã
podemos divisar sobejos de banquete
e os ossos da casa abandonada.
Despedem-se as aves viajeiras 
em concílios no reino das areias.
Obreiras cegas trabalham 
na desmontagem dos umbrais.
Chega até nós o eco de fogueiras
extintas pela fúria da maré.
Há o cansaço de luas grandes
nos ventres das mulheres.
Herdeiros somos de tantos mortos
que assim nos pesa a vida
na adição dos meses
na subtração dos dias.

Licínia Quitério

arquivo

 
Site Meter